Arquivo de tag desfiles

porPriscila Manso

Da passarela ao altar: desfiles de noivas 2015 – Inspiração Angelina Jolie

Casar de branco é uma tradição que, hoje em dia, as pessoas não estão seguindo ao pé da letra. Como a união nem sempre é feita em uma igreja, as noivas estão inovando cada vez mais nos vestidos, coloridos ou, como fez a nossa amada Angelina Jolie, com desenhos, tudo bem que os desenhos dela foram apenas no véu, mas já inspiraram os estilistas nas coleções de 2015.

Veja o post sobre o casamento de Angelina Jolie e Brad Pitt aqui!

Maria Grazia Chiui e Pierpaolo Piccioli criaram peças lúdicas para a Valentino.

Da passarela ao altar: as noivas da temporada s/s 2015 da alta-costura

Elie Saab se inspirou, mas passou um pouco mais longe, você usaria este vestido colorido e cheia de brilhos para o casório?

Da passarela ao altar: as noivas da temporada s/s 2015 da alta-costura
Karl Lagerfeld pegou mais leve nas cores, e criou um vestido perfeito para um casamento com muito verde para a Chanel.

Da passarela ao altar: as noivas da temporada s/s 2015 da alta-costura

E no desfile de  Jean Paul Gaultier teve até Naomi vestida de buque!

Da passarela ao altar: as noivas da temporada s/s 2015 da alta-costura

 

Gostou? Comenta aí!

Beijaaas!

porA Cara da Ryqueza

Quedas com Glamour

April 3, 2014

Mesmo jogadas no chão as modelos continuam lindas.. RS

Ao contrário da semana da modas em São Paulo, que até agora, está totalmente perfeita, a semana de moda da China foi um pouquinho desastrosa, nada com que a marca tenha que se preocupar, já que esse tipo de coisa atrai uma publicidade incrível.

Durante o desfile da marca Seccry Hu Shenguang, três modelos se estatelaram na passarela, o motivo? Saltos altíssimo e sapatos “a lá” Lady Gaga. Pois é…

porA Cara da Ryqueza

Fashion Rio – Inverno 2013

Rycas, semana passada falamos do SPFW. Agora está na hora de ver o que rolou no Fashion Rio, que também teve sua edição de três dias em novembro (de 7 a 9), acompanhando as alterações do calendário de moda brasileira. Então seguem os nossos pitacos sobre as melhores coleções vistas nas passarelas cariocas:

No primeiro dia, a Acquastudio traz vestidinhos incríveis. Uns com modelagem bem estruturada, outros mais fluidos e ainda alguns que juntam as duas modelagens em uma mesma peça. Mas todos muito elaborados, cheios de texturas e aplicações e em cores neutras. Detalhes em transparências são os queridinhos da estação e aparecem por aqui também, junto com um cinto de laço estilizado que está presente em quase todos os looks. Bem ryco e fácil de se inspirar.

A Oh Boy chega toda animada, cheia de estampas e cores. A coleção abusou da estamparia, a grande maioria delas é bem estilo menininha. Eu adorei aquela cheia de doces, batons, bichinhos e tudo mais. Fiquei bem tentada nas peças com gotas estampadas. Já deu pra perceber que a coleção é bem adaptável ao mundo real e que o animal print vai dar uma folga para as onças e apostar nos pets.

A marca Alessa se jogou nas texturas com muito sucesso, contando com lã, pele, paetê, metalizado, transparência e tudo o que tem direito. Apesar do preto dominar a passarela, as peças com detalhes em branco feitas de lã compactada são maravilhosas, é a cara do inverno com muito estilo.

Gostei muito da coleção da Sacada, principalmente da mistura de materiais que fizeram looks com um visual muito interessante e diferente. Gosto de estilistaS que exploram novas maneiras de trabalhar com o tecido e a marca fez um ótimo trabalho com o neoprene em peças muito usáveis, desejáveis e sem a pegada esportista de costume. As cores vibrantes também completam muito bem a coleção de uma maneira bem divertida.

Sempre fui fã da Espaço Fashion por suas modelagens, que são totalmente usáveis e ao mesmo tempo bem diferenciadas e inovadoras, os recortes das peças são realmente incríveis em todas as coleções. E nesse inverno não poderia ser diferente, a marca explora o mundo da sorte com muitos materiais quadriculados e cortados a laser, os meus favoritos são os de couro, alguns até misturado com a famosa estampa xadrez.  Os quadradinhos metalizados também são bem atraentes.

No último dia do evento, Nica Kessler arrasou na estamparia, principalmente nas de formas geométricas. Sempre sou a favor de peças com esse tipo de estampa, é bem atemporal e pode ser usado em qualquer estação. Outro ponto forte foram as modelagens elegantes e confortáveis, com cintura marcada e peças fluidas, dá pra trazer pro armário já. A mistura de texturas também completam muito bem a coleção, trazendo o inverno de uma forma leve e apropriada para o Rio.

Essas foram as nossas 6 favoritas da semana de moda carioca! Agora é esperar pra ver como tudo isso vai funcionar daqui a uns meses quando o inverno chegar. Pelo menos já matamos a curiosidade e sabemos um pouco de todas as tendências e novidades

Beijooos

 

PS: as fotos são do site FFW

porA Cara da Ryqueza

Desfiles SPFW

Rycas, aquelas perguntas frequentes de como os entendidos de moda classificam um desfile sempre caem na minha mão, então vou contar um pouquinho sobre esse trabalho.

Falar de um desfile e criticar o trabalho alheio não á fácil, seja de forma positiva ou negativa, é necessário entender os motivos da criação e todo o seu conjunto, envolvendo cores, materiais, formas, aplicabilidade e todas essas coisas. Mas principalmente é importantíssimo conhecer a história da marca para ver se ela está seguindo seu caminho ou se está completamente diferente.

Cada profissional tem a sua maneira de trabalhar com a criação e a crítica. Simplificando ao máximo e tentando levar a questão aos olhos de quem não estudou o assunto, mas simplesmente ama moda, eu diria que na minha opinião um  bom desfile é aquele que tem peças que nos dá vontade de usar!

Por mais escalafobéticas que sejam, existem algumas peças que encantam e mesmo sem termos ocasião pra tanto, temos vontade de vestir nem que seja por uns minutos. Essas roupas, que despertam essa vontade, pra mim são parte de um bom desfile porque será muito fácil de adaptar a criação da passarela para peças usáveis que serão desejadas pelas clientes nas lojas.

Pensando em toda essa teoria, separei as peças que eu tive vontade de usar nessa ultima edição do SPFW, espero que gostem!

Como já falei do Ronaldo Fraga, Paula Raia e Tufi Duek, os deixei de fora dessa listinha, mas amei as 3 coleções.

Beijoos

PS: as fotos são do site FFW

porA Cara da Ryqueza

SPFW, 6° dia!

Meninas, hoje terminamos nossos posts sobre as semanas de moda brasileira, mas durante aestação vamos continuar com as dicas diárias para facilitar a vida quando o assunto é moda. Então lá vai tudo que rolou dia 24 de janeiro, ultimo dia do SPFW.

O dia não poderia ter começado com maior energia, a Neon e seus looks mega coloridos alegraram a passarela com uma coleção inspirada em flores e suas proporções, misturadas a cultura de Istambul. O resultado não poderia ser diferente, peças com modelagens remetendo as pétalas das flores, mas muito fácil de usar, junto com estampas étnicas cheias de vida e cores. As peças começam bem sequinhas e justas ao corpo e aos poucos vão ganhando volumes e tecidos recortados e estruturados, até nas golas gigantes. Os chapéus são incríveis e enormes, chamando muita atenção e dando um charme extra aos looks, espero que essa moda pegue! São tantas coisas maravilhosas que fica difícil dizer qual é a melhor, mas o que mais me chamou atenção foram os vestidos com saias de pétalas, algumas em camada, outras não, mas todas lindas, com a cara do tema e podem sim fazer parte do nosso armário. Apesar das cores vibrantes e alegres, com certa cara de verão, os tecidos estão prontos para o frio, com variações de lãs, brim e um toque se seda pra dar um charme nessa coleção cheia de vida e alegria, que dá vontade de sair pulando junto com Dudu Bertholini e Rita Comparato no final do desfile!

A segunda a desfilar foi Fernanda Yamamoto, que usou como inspiração as pinturas do Renascimento. A coleção tem formas mais secas e algumas fendas estratégicas, misturando os comprimentos das peças e abusando das sobreposições. Continuando nas formas, podemos ver peças completamente diferentes, com o lado direito de um jeito e o esquerdo de outro, isso acontece não só com a modelagem, mas também com os recortes e os tecidos. O jacquard é o material mais explorado pela estilista, que usa o tecido com diversas tramas, formando desenhos geométricos e referentes às pinturas, uma boa alternativa para as estampas. O ponto forte da coleção são as peças presentes em todo o mix feitas de náilon artesanal (nome dado por Fernanda para feltro com uma camada de películas emborradas e transparentes), que tem uma textura incrível e se torna um ótimo impermeável para os dias de muito frio ou chuva. As cores escolhidas são vermelho, preto, laranja, marinho, verde, nude e dourado. Os brilhos aparecem nos looks de maneira bem sutil e discreta, sendo em alguns fios no jacqurd ou em canutilhos e paetês localizados, poucas vezes vimos uma peça com grandes partes brilhantes, o que é perfeito pra quem quer aderir à tendência aos poucos.

Alexandre Herchcovitch foi o terceiro a passar pela passarela, só que dessa vez com uma coleção 100% masculina e teve como tema as roupas dos judeus ortodoxos, utilizando muitos elementos da religião em suas criações, mas mantendo o esporte urbano. Desses elementos, os mais fáceis de identificar, até para quem pertence a outras religiões são os cintos com franjas que aparecem em muitos look, a estrela de Davi é vista nas estampas e texturas e a aplicação de couro em faixas usadas nas luvas brancas. As cores da coleção são bem sóbrias, contendo somente preto, cinza, azul e branco.  Já os materiais tem a lã como tecido predominante, junto com algodão e um pouco de couro. Os shapes dos casacos são retos, mas o que mais chama atenção é a nova forma das calças, sendo mais justas e com comprimento no meio da canela, será que os homens vão aderir?! O destaque da coleção são os volumosos casacos de náilon (que em alguns momentos surgem em couro) que aparecem em todos os comprimentos, cores, estampas e texturas, esses sim eu acho que podem ser incorporados aos looks masculinos nas ruas.

A quarta marca foi Amapô, que teve um monte de temas para dar origem a coleção, desde o coletivo artístico AVAF, passando por skinheads e adolescentes elegantes e chegando a Tank Girl (cartoon britânico). Tudo isso resultou em uma coleção com shapes variados, contendo formas justas e bem soltas. As estampas da coleção são coloridíssimas e variam nos tons, algumas em tons mais claros, outras bem vibrantes e até umas com uma explosão de brilhos. Os recortes impressionam, tanto nos looks masculinos como nos femininos, tiras finas pretas ou brancas estão espalhadas pela coleção e em alguns casos segurando a roupa no corpo, e chamam tanta atenção quanto as tiras transparentes passando pelo meio dos looks de ambos os sexos, realmente incrível a construção das peças e sem duvida é o destaque da estação da marca! Outras peças muito bonitas, só que agora também usáveis, são os tricôs com tramas parecendo cadeiras de palha, muito chic e diferente!

Quem encerra o evento com tudo é André Lima, que se inspirou em elementos asiáticos e africanos. A coleção cheia de vestidos apresenta grandes volumes, em saias bem amplas, mas tambem alguns modelos bem próximos ao corpo, mas em todos eles a cintura é bem marcada. Os tecidos usados foram jacqurad, seda, organza e tweed, algumas peças com texturas e fios metalizados. A coleção é cheia de babados maravilhosos, dando movimentos e fluidez aos looks bem sensuais e cheios de charme. O grande destaque da coleção são as inúmeras estampas, todas extremamente harmônicas entre si e combinadas de maneira natural, criando composições perfeitas.  As calças, camisas e paletós presentes em alguns momentos do desfile não ficam atrás dos vestidos, são todos com formas incríveis, se adaptam perfeitamente ao corpo e tem acabamentos impecáveis. Para criar todo esse universo fantástico, o estilista usou preto, azul, roxo, laranja, caramelo e dourado. Sendo o rei das misturas perfeitas, André Lima fecha a SPFW com chave de ouro!

E assim termina a tão esperada SPFW, esperamos que tenham gostado dos nossos posts e dicas, e a partir de amanha voltamos com nossos pitacos na moda em geral, até que chegue a próxima semana de moda brasileira!

Beijoos

porA Cara da Ryqueza

SPFW, 5° dia!

Bora começar mais um post contando as novidades do evento de moda mais famoso do Brasil. No dia 23 de janeiro, aconteceu…

A primeira a se apresentar foi Gloria Coelho, que teve como inspiração duas forças da natureza, os vulcões e as partículas solares. Aproveitando a potencia do tema, a estilista mistura diversos materiais na mesma peça, resultando em um visual bem complexo, composto por couro, veludo, transparência e até…pelo de vaca! Como sempre a marca arrasa nas modelagens, com peças muito bem cortadas e estruturadas, dessa vez, dando ênfase aos ombros arredondados e formas retas com um leve acinturado. Tudo é pensado para que as peças mantenham harmonia entre si, através de recortes em regiões estratégicas, cores neutras (preto, cinza , nude , off White e vermelho) com forros coloridos (rosa e laranja) e acabamento impecável. As estampas localizadas são em tons de cinza, remetendo a fumaça dos vulcões com um toque de laranja que representa a lava. As texturas dos casacos são bem visíveis. O destaque são os vestidos transparentes com estampas metalizadas de poa em diversos tamanhos, o movimento é incrível e o efeito maravilhoso! Os detalhes em tecidos cortados em estilo mil folhas dão volume a peça de uma maneira muito elegante. Os brilhos também fazem parte da coleção, representando as partículas solares. Um detalhe interessante que pode ser aproveitado são as faixas coloridas nas pernas das modelos que alongam a silhueta, podemos aproveitar em nossas meias- calça.

A Maria Bonita foi a segunda a desfilar, tendo com inspiração o norte do Brasil e seu povo. A marca mostra uma coleção confortável, como cores terrosas e materiais com texturas elaboradas. O ponto alto da coleção são as peças felpudas que parecem feitas de lã, mas na verdade são fios escovados diversas vezes que são responsáveis por esse efeito. Com modelagem reta e materiais inusitados, foi possível criar uma família de peças com bolsos e detalhes em látex, dando contraste e brilho para um visual muito interessante. As tramas de rede, usadas nos casacos também completa o tema com trabalhos artesanais, juntamente com uma “renda” personalizada. As estampas são as paisagens da natureza local, podemos ver arvores e rios nos looks da temporada. As franjas chegam com tudo e aparecem em todo o mix, lembrando as ocas.

A terceira marca do dia foi a Uma por Raquel Davidowicz, que teve o esporte minimalista como inspiração e fez uma coleção andrógena, com shapes retos e cores mais conhecidas como masculinas, como preto, cinza, marrom e azul, o vermelho entra apenas em alguns pequenos pontos do desfile. Os tecidos usados são lã, algodão, seda, tricô, viscose e couro. Uma ideia muito legal que a marca teve foi trazer modelos de todas as idades para a passarela, podemos ver senhoras e adolescentes no desfile, mostrando que a moda é para todas as idades, arrasou! O destaque da coleção são as peças com um efeito diferente em um tecido que já vimos varias vezes na temporada, o couro amassado, que é responsável pelo caimento único e estilo irreverente dos looks. Um detalhe legal são os nós que lembram flores presos na cintura ou pescoço de algumas peças.

O próximo desfile foi de João Pimenta, que se inspirou no movimento Steampunk e nos “ Doutores de Praga” que eram médicos que cuidavam dos leprosos e usavam vestes longas e mascaras pretas, daí vem o os shapes e o clima sombrio da coleção. Os tecidos são sustentáveis e feitos em teares manuais, contendo fios de lã, couro e tricoline. O forte da marca é a alfaiataria e o estilista explorou as peças ao máximo, podemos ver proporções variadas entre camisas, calças, coletes e paletós, sendo o ponto forte da estação para os homens. A coleção também é muito rica em texturas, que são bem discretas e quase imperceptíveis pela foto. As cores combinam com o clima o tema da coleção, cheia de preto, marrom e com algumas peças em cores como o verde, o azul, o vermelho e o amarelo, mas sempre em tons escuros. Podemos ver algumas referencias de modelagem do século XIX, como aquelas peças armadas na altura do quadril, golas e as nada tradicionais saias. As estampas são bem sutis, sempre da mesma cor do tecido.

O último desfile foi o de Lino Villaventura, que usou como inspiração as pinturas sombrias de Francis Bacon e trouxe para a passarela uma coleção de formas muito interessantes, começando mais próximas ao corpo e ganhando volume até ficarem enormes.  Os vestidos do estilista nunca foram tradicionais, sempre com o conceito acima de tudo, as peças foram feitas para festas extremamente chics e modernas, onde as clientes são livres para aderir à criatividade de Lino. Para acompanhar tanto luxo, os acabamentos e detalhes devem ser impecáveis e mostrar inovações constantes, como é o caso da prega palito (um drapeado minúsculo, da grossura de um palito). A coleção está recheada de peças preciosas e algumas delas vêm cheias de brilhos, com aplicações de paetês, canutilhos e muita pedraria. O ponto forte da coleção são os looks de rainha, com vestidos mega luxuosos e volumosos, alguns com tecidos estruturados e recortados nas mangas que remetem a asas de pássaros e mantôs gigantes, com modelagem fofa e ultra coloridos. Também vemos looks masculinos, com alfaiataria, estampas e capas, mas não adianta, nada chama mais atenção que os vestidos cheios de cores, recortes, texturas, detalhes e formas, de fato um luxo real!

E por hoje é só, esperamos que vocês tenham gostados dos nossos pitacos do SPFW e voltem amanha para o ultimo post do evento!

Beijoos

porA Cara da Ryqueza

SPFW, 1° dia!

Mulherada, finalmente chegou o tão esperado SPFW, agora podemos ver tudo que vai estar super em alta na próxima estação com a visão dos estilistas que desfilam em São Paulo, aproveitem!

Quem estreou o evento com tudo foi a marca Animale, que já começou o desfile em grande estilo com a modelo Rosie Huntington-Whiteley, que estrela o filme “Transformers 3”, junto com  as outras super tops Isabel Goulart, Aline Weber e Ana Beatriz Barros. A coleção foi inspirada em peças russas antigas. Muitas roupas remetem a esse universo com suas estampas e pedrarias, lembrando os colares bem pesados do tema.  Para dar a elegância necessária para representar a Rússia Antiga, muitos looks chegaram em veludo molhado devorê (corroído), misturando na mesma peça a transparência leve e o porte mais pesado do tecido, aí já juntaram as duas maiores tendências do inverno ( transparência e brilho) de uma maneira sensacional, esse foi o ponto forte da coleção! As transparências não apareceram somente nas peças em veludo, elas estão por toda parte da coleção, em tops, bottons e vestidos, através de uma modelagem em formas soltas. Somente os casacos que chegam com uma estrutura mais justa em tecidos mais encorpados, como o couro e o tweed, alguns sendo mais lisos e outros com fios soltos. Peças com textura de pele de cobra também mostraram todo o lado chic do tema, juntamente com as peles dos casacos e acessórios. As cores usadas nessa coleção chiquérrima são vermelho, preto, creme, off-white e caramelo.

A segunda marca a desfilar foi a Tufi Duek, que trouxe a lua, as estrelas e o estilista Thierry Mugler na década de 80 como tema para esse inverno. Sendo uma coleção de shapes ultra justos, a cintura é bem marcada em saias e vestidos de comprimento midi. Muitos looks têm aplicações de paetês ou fios brilhantes, mostrando o lado futurista e a tendência da estação. Outra ideia interessante para dar esse efeito são as costuras com elásticos e bordados brilhantes, que parecem pedras lunares. Mas o ponto forte são as peças texturizadas com ar metalizado, parecem algum tipo de escama misturado as pedras, super fashion e incrível para fazer parte do nosso inverno, inclusive nos acessórios! As aplicações de viés em couro dão um charme extra para os looks alongados e mostram que mais uma vez, o material que tanto amamos vai permanecer por mais uma estação. As cores usadas para a coleção super feminina e sensual são preto, verde oliva, cinza e off-white.

A terceira a se apresentar foi a Cori, com a inspiração no hipismo, a marca se aprofundou no tema e deixou tudo, inclusive os acessórios inseridos no contexto. São os pequenos detalhes que estão em todos os looks que fazem essa coleção ser incrível. Ponto forte da coleção, detalhes em couro nos punhos, nas barras, nos ombros estruturados, nas bolsas e em varias outras maneiras de explorar o material o tornando irresistível, com efeitos marmorizado e tricotado (efeito brilhante que não poderia faltar) ou com cara de escamas, tudo isso feito com o nosso querido couro que traz a passarela aquele ar de montaria! As botas também merecem destaque, uma vez que remetem ao tema, mas são completamente diferentes das botas de montaria que conhecemos. Estas tem salto, tiras e detalhes com a cara da selaria. As luvas de couro também dão um toque final nos looks, com muita elegância e feminilidade. As formas da coleção são próximas ao corpo, mas sem serem extremamente justas e com alguns looks fluidos no movimento. Como não poderia faltar, a coleção também mostra rendas e transparências. As cores usadas para um desfile com a cara da marca foram as terrosas (marrom,coral, nude e bege) junto com preto e azul petróleo.

E terminando o primeiro dia do SPFW temos a Osklen, que teve como inspiração o próprio Oskar como embaixador da Unesco na Conferencia das Nações Unidas Rio + 20, juntamente com o estilo Ravers dos anos 90. Daí surge uma coleção com diversos materiais, incluindo couro de peixe e pelúcia, tentando dar um ar confortável e pronto para se adaptar a qualquer mudança que podemos sofrer se não cuidarmos do meio ambiente. Os shapes são aqueles que sempre conseguimos reconhecer como sendo da marca, mais largos e com o estilo característico da Osklen. O desfile apresenta um série de composições malucas e misturadas em variadas cores, como laranja, azul, verde militar, marrom, cinza, vermelho, preto e dourado. Mas as peças mais impressionantes e o destaque da coleção são os casacos e blusas feitas de pelúcia, os modelos parecem ursos gigantes na passarela, mesmo sendo difícil de adaptar ao nosso armário, o efeito é muito bonito. Os tricôs também são bem pesados e dão uma sensação quentinha e confortável, tudo que queremos pro inverno.

E assim termina o primeiro dia do SPFW esperamos que tenham gostado e  não percam o post de amanha com as novidades do segundo dia do evento!

Beijoos